Ocorrência de Perda Auditiva entre Músicos.

Ocorrência de perda auditiva entre músicos

Resumo do Trabalho de conclusão do curso de  Fonoaudiologia apresentado à UNESA/2008.  

 

ALMEIDA,Monique C. P.*

SANTOS, Daniela P. dos*

HONÓRIO, Vanessa S. S.*

LÜDERS, Débora**

LENCASTRE, Elisabete***

 

Introdução:

A exposição a níveis de pressão sonora elevados, nos profissionais da música, pode causar perda auditiva induzida por ruído (PAIR) que é uma doença crônica e irreversível da audição causada pela agressão às células ciliadas do órgão de Corti, decorrente da exposição sistemática e prolongada a ruídos intensos.

Material e Método:

A presente pesquisa compõe-se de músicos profissionais de diferentes ritmos, incluindo cantores e instrumentistas de bandas totalizando 15 participantes com mais de cinco anos de atuação na área. Este estudo foi baseado no levantamento de dados através de um questionário com 16 perguntas fechadas com o objetivo de levantar o conhecimento que esses músicos possuem sobre os riscos à saúde auditiva decorrentes de níveis sonoros elevados, bem como suas queixas e sensações físicas relatadas. Também foram submetidos à Avaliação Audiológica (Audiometria e Imitanciometria), sendo solicitado um repouso auditivo de 14 horas antes da realização dos exames.

Resultados:

Na presente pesquisa não foram encontrados resultados equivalentes a perda auditiva induzida pelo ruído, porém 53% dos músicos relataram ter dificuldades em ouvir. Além de serem expostos a ruídos fora do ambiente de trabalho e apresentarem sintomas auditivos, 40% dos músicos não tem conhecimento sobre os efeitos auditivos que a música intensa pode causar e os que têm 60% não tomam os devidos cuidados.

Conclusão:

Na presente pesquisa não foram encontrados resultados equivalentes a perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR). Mesmo assim, 73% dos músicos relataram vários sintomas relacionados à saúde auditiva (plenitude auricular, zumbido,tonteira e dor de cabeça); 53,3% relaram sentir dificuldades em ouvir, além da exposição a ruídos fora do ambiente de trabalho, que pode contribuir para acelerar a possibilidade de PAIR.

Também podemos observar que de acordo com os dados desta pesquisa, uma boa parte (40%) dos músicos não tem informação sobre os efeitos auditivos que a exposição a sons intensos pode causar, e os que têm conhecimento, não tomam os devidos cuidados para adquirir medidas de prevenção à saúde auditiva.

Todos os músicos devem fazer exames anuais para verificar sua audição, pois para eles é fundamental uma integridade auditiva para um bom desempenho de suas habilidades auditivas, para que haja uma perfeita harmonia entre os instrumentos.

A educação e a conscientização do músico deve ser o foco principal presente nos programas de prevenção e conservação auditiva, onde o objetivo é proteger um dos órgãos mais importantes para o seu desempenho profissional, social, além de ser um mecanismo de defesa de para sua segurança pessoal.

É recomendável para a conservação auditiva que os músicos não permaneçam expostos diretamente as caixas de som, é importante também reduzir o volume dos equipamentos sonoros nos ensaios; utilizar EPIs (equipamento de proteção individual) quando necessários e evitar exposição extra-ocupacional ao ruído, como por exemplo a utilização de fones de ouvido com volume alto.

O principal é não expor sua audição a sons com intensidades superiores a 90 dB, pois o ouvido humano quando exposto acima desta intensidade por tempo prolongado já pode apresentar perda auditiva.


  

* Formadas em Fonoaudiologia da Universidade Estácio de Sá – campus AKXE/RJ

**Docente do curso de Fonoaudiologia da Universidade Estácio de Sá, campus AKXE, especialista em Audiologia pelo CFFa., Mestre em Distúrbios da Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

 

 

Daniela Pimentel © 2014.  Crefono. 13137- Rj

Avenida Presidente Vargas, Nº583, Sala.712 – Centro – RJ  |  Tel.: (21) 2223-0514